domingo, 1 de fevereiro de 2009

Marley e Eu


Tem um filme sobre o qual quero falar com vocês, mas estava sempre adiando.
O nome do filme é Marley e Eu, baseado no best-seller de John Grogan.
Eu já tinha até começado a ler o livro, mas por um motivo ou outro não tinha nem chegado na metade.
Tenho que confessar que chorei já na primeira página, quando o narrador conta sobre o cachorro que ele teve quando criança.
Quem já teve um animal de estimação (sendo um cão, ou não) sabe quanto é bom ter um companheiro assim.
Eu já tive vários animais, cachorros, gatos, porquinhos-da-india, passarinhos... e não tem coisa melhor.
No filme, recém-casados que não estão prontos para ter um filho (Owen Wilson e Jennifer Aniston, duas escolhas excelentes) resolvem adquirir um cachorrinho da raça Labrador.
Só que eles nem imaginavam o que espera por eles.
Marley (o nome do cachorro, uma homenagem a Bob Marley) destrói tudo que vê pela frente, rói porta, come o estofamento do sofá, toma água do vaso sanitário.
Como o dono dele diz, ele é o pior cão do mundo.
E eu sei como é, eu já tive um labrador, e o meu "comeu" uma porta de banheiro, onde trancamos ele. KKKKKKKK
Ele roía sandálias, roupas, o que encontrasse, mas era querido demais, uma criança.
Mas voltando ao Marley e deixando o Chorão (em homenagem ao Chorão de Charlie Brown Jr., banda que meu irmão era fã na época) de lado.
Marley era tão "educado" que simplesmente foi expulso das aulas de adestramento, para vocês sentirem o drama.
No dia que ele é levado para ser castrado ele pula para fora do carro e fica com as duas patas dianteiras para fora, andando e o carro em movimento. Acho que ele previa seu destino. Essa cena é simplesmente hilária.
Acho que não vou lembrar nem metade do que ele fez no filme, mas sei que até a metade é de morrer de rir.
Mas eu sabia que ia chorar quando visse esse filme, era inevitável.
E a 1ª cena que me emocionou foi quando a Jennifer (a personagem de Jennifer Aniston) sofre um aborto e Marley encosta a cabeça em sua perna numa cena tocante e muito triste, mas que nos mostra quanto um cachorro pode ser um amigo. E ele ficou ali paradinho sem dizer nada, foi uma das cenas mais lindas do filme para mim, mas consegui segurar as lágrimas.
Marley acompanha o aumento da famíia, a mudança de cidade, continua brincalhão e aprontando das suas.
O casal já tem 3 filhos e Marley já tem muitos anos e começa a sofrer os sinais da idade.
E aí que começa a choradeira, minha e do restante do cinema.
Nunca chorei tanto no cinema, nem vi tanta gente chorando também.
Não posso dizer se o filme foi fiel ao livro, mas acho que isso nem importa quando fazem um filme tão lindo, que mostra o quanto um animal pode fazer sim parte de uma família.
Me lembra até quando a personagem Jennifer diz que a família começou bem antes de ter filhos, começou quando Marley se juntou a eles.
Indico o filme a todos, é triste mas vale a pena.
Afinal, a tristeza faz parte da vida e quem nunca perdeu alguém querido, mesmo que esse alguém fosse um bichinho de estimação e não pudesse falar, mas que entendesse o que você falava e fizesse aquela carinha de fofo, como o Marley faz?


2 comentários:

Maria Antonia disse...

Amei! Adorei! Só de ler o comentário sobre o filme, já chorei novamente...

ana paula disse...

Ah, tava devendo mesmo um post sobre o Marley, né Ju!! rsrs

Que graça a foto com a guia enrolada na perna do Owen Wilson e o Marley puxando! E a Jennifer Aniston, gracinha como sempre.... rsrs

Vale a pena mesmo!!